quarta-feira

Visita indesejada

Maria Liberdade Oliveira dos Santos

De repente a noite cai
A saudade bate desesperadamente em minha porta
Ela implora para entrar
Quer me fazer companhia em teu lugar
Mas eu insisto em não recebê-la
Disfarço e tento não perceber
Que a saudade insistentemente quer se aproximar
Procuro me esconder
Mas aonde quer que eu vá
Encontro lembranças tuas...
E mais uma vez ouço o grito da saudade,
Cada vez mais furiosa
Não tem jeito, ela é mais forte
E mais uma vez conseguiu me vencer
Chegou querendo ficar
Eu já sei que terei mais uma noite escura e fria
Sem teu amor
Sem alegria
As horas passam
O sono não vem
A visita indesejada observa meu rosto banhado em lágrimas
Lágrimas provocadas pela saudade
Ou, sinônimo da ausência tua.

Imagem: GOOGLE

Texto publicado no livroEditora Br Letras CBJE
Rio de Janeiro



2 comentários:

david santos disse...

Olá, Maria.
Este trabalho é uma maravilha.
A espera e a saudade andam sempre de mãos dadas.
Parabéns

Maria Liberdade Oliveira dos Santos disse...

Obrigada pela visita e pelo comentário. Apareça sempre.
Abraços! :)